My dream is having all this map painted in red

Wednesday, 26 December 2007

Welcome to London



Londres é a grande metrópole da Europa, e uma das maiores do mundo junto com Nova Iorque, Tóquio, Moscou, Paris. Seja na arquitetura antiga de seus prédios, na vanguarda de seus jovens ou no desfile de limousines, Londres é uma verdadeira cidade cosmopolita e um tanto controversa. Une ao mesmo tempo a classe de um lord britânico com a vanguarda de um jovem punk, sem falar na elegância carregada de escândalos da família real. É exatamente isso que torna os ares londrinos inesquecíveis.
Imigrantes, turistas, e cidadãos diariamente enchem as ruas dessa cidade que já soma cerca de 8 milhões de habitantes, parte deles provenientes dos mais diferentes cantos do mundo. Os londrinos são pessoas hospitaleiras, já acostumados com as centenas de turistas que invadem a cidade.
A vida noturna de Londres é intensa e agitada. Tão tradicional quanto o delicioso chá inglês, são os pubs londrinos com suas pints, grandes jarras de cerveja. Os pubs fecham suas portas cedo, quando é hora de partir para as discotecas ou, quem sabe, para as raves, as megafestas que só terminam no dia seguinte. O bairro SoHo é o lugar certo para os bares e discotecas. Seja num pub ou numa rave, a noite londrina é sempre uma aventura.
Ninguém deixa de pensar em Beatles quando se fala da Inglaterra, e toda a vanguarda que marcou gerações. Além dos revolucionários do rock, o que falar de Rolling Stones, Pink Floyd e Led Zepellin? Todos ingleses. Esse é apenas o início da movimentada agenda cultural que fervilha em Londres, já há muitos anos.
Sempre tinha imaginado Londres como uma cidade de clima britânico, sofisticada e elegante. Nunca pensei que veria uma Londres tão movimentada, tão internacional. Com tantos ônibus, carros e pedestres, o trânsito não poderia deixar de ser meio maluco. Ainda assim, as pessoas são educadas e páram para os pedestres passarem. Outra curiosidade dessa capital é que a criminalidade é baixa. Londres é uma cidade segura para se viver.



Em geral, a relação da Inglaterra com a Europa ainda é um pouco conturbada. Apesar de fazer parte da União Européia, o Reino Unido não aderiu ao euro, porque também possui uma moeda forte, a libra ou pound (£), que, vale $1,98 dólares americanos, €1,36 euros e pasmen, R$3,53. Por isso, Londres é tão cara para brasileiros. A cidade também possui grande importância no mercado financeiro mundial. A Bolsa de Valores londrina é forte e rivaliza com as bolsas de Nova York, Tóquio e Frankfurt. Além da moeda, o Reino Unido não aderiu ao Tratado de Schengen, que permite que cidadãos de determinados países, incluindo o Brasil, não precisarem de visto de turista, podendo circular pela União Européia por 3 meses. Na Inglaterra, brasileiros precisam de permissão, que ganham ao chegar no país, podendo permanecer, então, por até 6 meses.
Não importa a hora que você chegue em Londres, sempre vai encontrar algum hotel aberto, além de taxis, ônibus e muita gente nas ruas, pois a cidade não para. Não é para pouco. As principais marcas do mundo estão na capital britânica, os melhores carros rodam por lá, existem shows e espetáculos para todos os gostos, além de muitos museus, palácios e a pomposa realeza britânica. Quem não gostaria de conhecer uma cidade como essa!?!?
Londres tem centenas de opções para lazer. Você pode ficar lá um ano e sempre terá nova peça de teatro para apreciar, algum show, ou evento diferente para ver. Os pontos turísticos também são vários. Começando pelos mais tradicionais, dá para imaginar a emoção que é estar em frente ao Big Ben e depois passar pelo Palácio da Família Real para assistir à troca da guarda?
A torre do relógio e o Big Ben fazem parte da Houses of Parliament, o prédio do parlamento inglês, onde o primeiro ministro da Inglaterra, e os demais parlamentares atuam. A arquitetura é linda, em estilo medieval, com traços góticos e renascentistas, e data do século XIX. Visto de dia ou de noite, na beira do Rio Tâmisa, esse prédio retrata a sofisticação e o poder britânico. Bem pertinho do Big Ben, está a Westminter Abbey. Trata-se de uma grande abadia do século XI, que é muito bonita e uma das principais igrejas de Londres. É lá que ocorrem as coroações da família real desde 1066 e também foi ali que a princesa Diana foi velada.
Londres tem dezenas de museus, dentre os quais alguns são gratuitos. O Museu Imperial da Guerra oferece um bom arsenal de armas e acervo de histórias de guerras, não apenas britânicas, mas mundiais. É possível assistir a filmes e visitar reconstituições de trincheiras. Outros museus interessantes são a National Gallery, com exposições de arte, o British Museum, de antiguidades, o Museum of London, com a história da cidade, e, claro, o Madame Tussaud’s, com as personalidades mundiais esculpidas em cêra.
Passando pelo Picadilly Circus, a esquina repleta de propagandas em neon (e um dos pontos de mídia mais caros da Inglaterra), chega-se na Oxford Street, a rua das compras, onde estão as melhores lojas. Quanto ao preço, não dá para se entusiasmar. Londres é uma das 5 cidades mais caras do mundo. Se você vai a Londres e não quer gastar, desista. O ambiente londrino induz ao consumo, com muitas ofertas e vitrines lindas. Os carros de milhares de dólares e as limousines estão por todos os lados.



Tudo ao contrário. O famoso trânsito invertido torna a cidade um tanto engraçada, como se tudo estivesse ao contrário! Londres é tão turística que nas avenidas mais movimentadas pintam no asfalto a frase “Look to your left/right”, para que o visitante fique atento e não olhe para o lado errado, ainda causando algum acidente. Os tradicionais ônibus de dois andares ilustram de forma peculiar a paisagem urbana de Londres, é muito legal passear no andar de cima, contemplando o vai-e-vem das ruas. Outra peculiaridade de Londres são seus taxis, que continuam sendo disponibilizados num estilo inglês antigo, e são muitos utilizados como mídia.



Brasileiros é o que não falta em Londres. Seja no supermercado, nas ruas, ou no balcão de informações, alguém falando português nunca é difícil encontrar, sempre se acha. É claro, não só brasileiros, mas italianos, espanhóis, portugueses, japoneses… enfim, muita gente estrangeira! Em Londres, vê-se todo tipo de pessoas, de roupas, de estilos. Por isso, também é uma cidade meio sem identidade, onde tudo se mistura, e as culturas se confundem. Londres é confusa, mas única; ao mesmo tempo displicente e aristocrática, com ares de antiga e moderna, que já foi metrópole do império britânico no passado e que continua sendo metrópole revigorada nesse novo século. Forma um mosaico de muitas identidades e países, e, por isso, um verdadeiro caldeirão cultural.
Ao partir, fiquei com a sensação de que ainda se tem muito que explorar nessa cidade com séculos de história, mas ao mesmo tempo contemporânea. Tão popular quanto aristocrática, e surpreendente na sua enorme capacidade de influir e atuar em assuntos políticos, econômicos e financeiros, assim é Londres, esta grande metrópole da Inglaterra e da Europa.
Post a Comment