My dream is having all this map painted in red

Sunday, 6 March 2011

República da Irlanda e Irlanda do Norte

Bandeira da Irlanda

Para mim não há melhor maneira de comemorar mais um ano de vida (18/02) do que viajando, ainda mais quando se completa 30 anos, ou seja, três décadas de vida. É ou não é motivo para celebrar?

Assim, aqui estou eu, a caminho da Irlanda, um país que terá um lugar especial no meu coração pois será o 20º país que visito.

A história e a religião criaram duas comunidades diversas na Irlanda, onde a maioria protestante do norte está determinada a continuar parte do Reino Unido. Os tiroteios e as explosões na Irlanda do Norte denegriram a imagem do país, mas o Acordo da Sexta-Feira Santa de 1998 trouxe novas esperanças e a paz.

As duas partes da ilha têm uma população jovem e educada a trabalhar por um futuro comum, a Irlanda já foi um dos países mais pobres da Europa, os subsídios da União Europeia possibilitaram melhorias na infra-estrutura de transportes e muitas empresas do setor de desenvolvimento de software, químico e de telecomunicações abriram escritórios no seu território.

Desde 1990 a economia vinha tendo altos índices de crescimento com taxas anuais entre 7% e 11% tendo o país sido apelidado de Tigre Celta. Entretanto, os altos índices de crescimento do passado não foram suficientes para evitar que a Irlanda entrasse em forte depressão desde a crise de 2008 e recentemente pedisse ajuda ao FMI e a União Europeia para conseguir saldar seus compromissos financeiros.

A maior parte dos viajantes vê a Irlanda como uma ilha verdejante, notável pelos pubs, música, poesia e boa disposição. Embora esta imagem tenha um fundo de verdade e a indústria turística procure mantê-la, a realidade política e econômica é menos tranquila.

A Irlanda continua a ser uma ilha dividida pela história e pela religião, que levaram à sua cisão em duas comunidades hostis, uma no norte de maioria protestante e que luta para se manter como parte do Reino Unido, e outra no sul, de maioria católica e orgulhosa de sua independência.

Ao longo da história, a Irlanda foi severamente castigada por guerras e tragédias que culminaram na Grande Fome de 1845-48, a partir da qual a pobreza e a emigração passaram a fazer parte da vida quotidiana dos irlandeses. Atualmente a população de ascendência irlandesa que vive no Estados Unidos supera em número os habitantes da Irlanda que é de cerca de 4,5 milhões.

Uma ilha, situada no norte da Europa de um verde nunca antes visto e com um povo acolhedor, alegre e que adora tomar cerveja.
Enfim, um país que tem tudo para fazer da comemoração dos meus 30 anos de vida memorável e onde vou aprender a seguir em frente com minha vida sem pensar muito no passado pois o meu mundo é hoje, não existe amanhã para mim, meu tempo é hoje, eu não vivo no passado, o passado vive em mim.

Post a Comment