My dream is having all this map painted in red

Sunday, 28 December 2008

Entendendo Berlim

Tenha em mente o seguinte ao visitar esta cidade. Para entender Berlim é necessário voltar ao passado, mais precisamente na manhã do dia 13 de agosto de 1961. Neste dia a população de Berlim, próxima à linha que separava a cidade em duas partes, foi despertada por barulhos estranhos. Ao abrirem suas janelas, depararam-se com um inusitado movimento nas ruas a sua frente. Vários soldados da RDA (República Democrática da Alemanha), a Alemanha comunista, acompanhados por patrulhas armadas, estendiam uma interminável barreira de arame farpado que alongou-se por 37 quilômetros. Enquanto isso, atrás deles, trabalhadores desembarcavam dos caminhões descarregando tijolos, blocos de concreto e sacos de cimento. Ao mesmo tempo que eles feriam o solo com suas picaretas e britadeiras outros preparavam a argamassa. Assim, do nada, começou a brotar um muro, o pavoroso Mauer, como o chamavam os alemães e conhecido por nós como o Muro de Berlim.

 

Com o fim da Segunda Guerra Mundial em 1945, os Aliados: Estados Unidos, Inglaterra, França e Rússia que haviam vencido o confronto dividiram a Alemanha em 4 setores, cada um sobre o controle de um aliado. O setor dos Estados Unidos, Inglaterra e França acabaram por se juntar e formaram um estado capitalista, ou seja, a República Federal da Alemanha (RFA) ou Alemanha Ocidental. O setor soviético virou um estado comunista, a República Democrática da Alemanha (RDA) ou Alemanha Oriental.
Mesmo considerando que Berlim estava em território soviético, os Aliados acharam melhor dividir a metrópole também. Portanto, Berlim foi dividida em quatro setores. De novo, os Estados Unidos, a Inglaterra e a França se juntaram para formar a Berlim Ocidental. O setor soviético formou a Berlim Oriental. A maioria da população da Alemanha Oriental e da Berlim Oriental não gostava do regime comunista. Na verdade, a maioria das pessoas nem eram comunistas.

 

Nikita Kruschev, o premier soviético, ordenou então a construção do Muro de Berlim para parar o fluxo de refugiados. Os comunistas rasgaram ruas e demoliram prédios para usar como barricadas na fronteira. Por 28 anos, o Muro de Berlim separou amigos, famílias e uma nação. O Muro era feito de aço, cimento e cercas de arame farpado com armadilhas e explosivos. Também haviam torres de guarda com metralhadoras e outras armas pesadas, para aqueles que insistissem em atravessar a muralha sem a permissão do governo comunista os guardas tinham ordens de atirar para matar.
Uma verdadeira esquizofrenia geopolítica que cortou a cidade em duas partes, cada uma delas governada por regimes políticos ideologicamente inimigos, a grosseira parede de concreto que durante anos foi o símbolo da rivalidade entre Leste e Oeste. O paredão viera para ficar. Era uma monstruosidade arquitetônica que denunciava a estética kitsch, cinzenta, burra e tosca, do comunismo soviético, ao tempo em que expunha a absoluta insensibilidade das suas autoridades maiores. Uma briga sem sentido onde os únicos punidos eram os alemães orientais, um povo sofrido que tiveram que suportar o fato de serem governados por duas das mais atrozes tiranias do século XX, a de Hitler e a de Stalin, uma experiência sem igual.

 

Do lado soviético o motivo para a construção do muro era deter o constante fluxo de gente para o lado ocidental, migração que fizera com que, entre 1949 e 1961, mais de 2,6 milhões de alemães orientais escapassem para a Alemanha Ocidental. De certa forma, isto é explicado não só pela diferença dos regimes, como também pelo fato de ter havido extraordinária recuperação econômica do lado ocidental pois era deste lado que estavam as industrias e as minas.

 

Felizmente, no dia 9 de novembro de 1989, aconteceu a reunificação da Alemanha com a queda do muro de Berlim, termina a divisão do mundo em dois blocos e consequentemente a guerra fria.
Pouco depois deste anúncio houve notícias sobre a abertura do Muro na rádio e televisão ocidental. Milhares de pessoas marcharam aos postos fronteiriços e pediram a abertura da fronteira. Muitas pessoas viram a abertura da fronteira na televisão e pouco depois marcharam à fronteira. Como muitas pessoas já dormiam quando a fronteira se abriu, na manhã do dia 10 de Novembro havia grandes multidões de pessoas querendo passar pela fronteira.

 

Me lembro bem das notícias nos telejornais brasileiros sobre a queda do "Muro da Vergonha", eu tinha apenas 8 anos, não entendia bem o que tinha levado a criação daquela barreira de concreto que separava pessoas por anos, no entanto, naquele momento eu sabia que algo importante estava acontecendo, apesar de não ter a noção da dimensão que este ato representava para o mundo, sem saber, eu estava a ver pela TV um momento que entraria para a história onde a liberdade prevaleceu.

 

Queda do Muro de Berlim
Post a Comment