My dream is having all this map painted in red

Sunday, 28 February 2010

Ordem dos Cavaleiros de Malta

Símbolo da Ordem dos Cavaleiros de Malta

 

A Ordem dos Cavaleiros de Malta é uma força espiritual e militar criada em Rodes na Grécia no século XVI e que fez de Malta sua nova casa em 1530. Os Cavaleiros de Malta tiveram um papel importante no desenvolvimento do país e qualquer pessoa que visite Malta irá encontrar muitas referências sobre esta Ordem. Desse modo é importante que o visitante entenda a história desta ordem religiosa ao visitar Malta para poder compreender melhor toda a história deste pequeno país do mediterrâneo.

 

ORIGEM:

Os Cavaleiros de Malta tiveram suas origens nas cruzadas cristãs nos séculos XI e XII. Um hospital para peregrinos pobres em Jerusalém foi construído por um mercador italiano. O hospital era operado por monges e por este motivo ganharam a proteção do papado em 1113 e teve seu status elevado para uma ordem religiosa independente conhecida como Hospitaleiros. A Ordem criou mais hospitais como este na rota de peregrinação da Itália até Jerusalém e os cavaleiros que tinham suas feridas de guerra curadas ou doenças tratadas por estes hospitais mostravam sua gratidão garantindo fundos para o crescimento da Ordem.

 

Outros cavaleiros ofereciam seus serviços como soldados fornecendo proteção aos peregrinos, e nesse duplo papel, ou seja, curando os doentes e travando guerras contra os inimigos de Cristo começou a surgir os Cavaleiros da Ordem mantendo as estradas até Jerusalém livre de bandidos e outras ameaças aos cristãos. Matar um infiel era como uma vitória para Cristo e morrer em batalha e defesa de sua fé significava se tornar um mártir no paraíso.

 

Quando os exércitos islâmicos tomaram a Terra Santa em 1291 a Ordem num primeiro momento se refugiou no Chipre. Em 1309 eles adquiriram a ilha de Rodes na Grécia planejando ficarem próximos ao Oriente Médio na esperança de reconquistarem Jerusalém. Por lá permaneceram por mais de 200 anos construindo fortalezas, hospitais e transformando seu exército na mais formidável força naval que o mundo medieval já tinha visto.

 

ORGANIZAÇÃO:

Os cavaleiros desta Ordem eram fidalgos Europeus que viviam como monges e soldados. O objetivo da Ordem era servir aos pobres e a defesa da fé católica. A Ordem era financiada pelos rendimentos obtidos através de propriedades espalhadas pela Europa que eram possuídas por membros da Ordem ou propriedades que lhe haviam sido presenteadas.

 

A distinta cruz de oito pontas representava as oito virtudes que cada cavaleiro defendiam: Viver a verdade, Ter fé, Arrepender-se dos pecados, Dar prova de humildade, Amor a justiça, Ser misericordioso, Ser sincero e Suportar perseguições.

 

A Ordem era formada por oito nacionalidades ou línguas. Itália, França, Provence, Auvergne, Castela, Aragon, Alemanha e Inglaterra. Cada língua era liderada por um líder que eles chamavam de pilar e seus membros viviam juntos em um albergue que funcionava como um colégio ou casa fraterna. Cada língua tinha tarefas específicas e tomavam conta de partes distintas das muralhas da cidade durante as batalhas.

 

Os bens da Ordem eram gerenciados por uma rede de membros geralmente mais velhos, membros estes que já não prestavam serviços no mediterrâneo. Embora os cavaleiros fizessem votos de pobreza, a Ordem era imensamente rica. Cada cavaleiro era obrigado a doar quatro-quintos de sua riqueza pessoal para a Ordem.

 

HOSPITAIS:

Os hospitais criados pela Ordem, primeiro em Jerusalém, depois em Rodes na Grécia e finalmente em Malta estavam sempre no topo do desenvolvimento das ciências médicas. Ironicamente, embora os cavaleiros tenham levado morte e destruição aos muçulmanos que eram considerados "infiéis", muitos dos conhecimentos médicos e tratamentos usados eram obtidos através do estudo da medicina Árabe.

 

A enfermaria sacra em Valletta construída em 1570 tinha 600 camas e era famosa por toda a Europa. Ela foi obrigada a oferecer cuidados para os doentes de qualquer raça ou credo, escravos incluídos apesar de  os enfermos não católicos serem colocados em quartos separados. Os talheres dos hospitais eram feitos de prata para aumentar o decoro do Hospital.

 

Os cirurgiões da Ordem realizavam muitas operações avançadas para a época como retirada de pedras na bexiga, cataratas, amputações e tratamento de feridos.

 

DEPOIS DE MALTA:

Após a expulsão de Malta por Napoleão em 1798, os cavaleiros se refugiaram primeiro na Rússia e mais tarde na Itália. Após muitos anos de incertezas, eles finalmente fizeram do Palazzo di Malta em Roma sua sede principal.

 

Nos sécuos XIX e XX a Ordem reconstruiu a si mesma como uma organização religiosa e de caridade conhecida como os Cavaleiros da Ordem de Malta e é internacionalmente reconhecida, emitindo sua própria moeda e selos postais, sendo atualmente um estado sem território. Suas preocupações principais são a construção de hospitais e ajuda humanitária em regiões afetadas pela pobreza e por disastres ambientais.

 

A Ordem possui relações diplomáticas com 94 países e é um observador permanente das Nações Unidas desde 1994, continuam a trabalhar no campo da medicina e cuidados sociais e possuem uma embaixada em Malta. Desde 1988 O Grão Mestre da Ordem dos Cavaleiros de Malta é o inglês Andrew Bertie.

Post a Comment