My dream is having all this map painted in red

Monday, 21 March 2011

Dublin

Dublin - Irlanda

Climas de sonho, em cenários esfumaçados. Dublin é assim. A culpa é da luz macia, avessa a contornos nítidos. Não que falte cor ao país. Pelo contrário, a cor está presente no verde dos prados, na exuberância das flores, no bege das ovelhas, no vermelho dos cabelos das meninas ruivas e sardentas, um charme por sinal. Entretanto, é impossível deixar de pensar que a beleza da capital irlandesa é como a daquelas mulheres que mais sugerem do que exibem. Dublin é uma descoberta. E que descoberta!

Dublin - Irlanda

Diferente das outras importantes capitais da Europa Dublin não possui grandes monumentos, museus imponentes ou cartões postais de tirar o fôlego, não que a cidade não seja bonita, longe disso, mas talvez a maior beleza de Dublin esteja no seu povo, nos irlandeses que lá vivem e fazem desta uma cidade vibrante, cheia de vida e alegria, que nem a crise financeira atual conseguiu apagar.

Dublin - Irlanda

Como eles bebem! A partir das seis da tarde or irlandeses já se sentem autorizados a entrar no pub e pedir o primeiro pint de Guinnes, de preferência num pub na região do “Temple Bar”. Ou meio litro de cerveja preta e densa, quase sem bolhas, praticamente uma sopa de cevada. Dois pints já põem a rodar qualquer cabeça, mas para os nativos da Irlanda esse é só o feliz começo de uma noitada etílica

Dublin - Irlanda

Irlandês bebe muito, é verdade. Não é a toa que, no princípio do século, o alcoolismo era conhecido nos Estados Unidos como the “Irish plague”, ou a “praga irlandesa”. E o pior é que ele não bebem sem “craic”, palavra da língua deles que se pronuncia “crack”, mas não tem nada a ver com droga, que fique bem claro. O “craic” nada mais é do que um bom bate-papo, coisa que irlandês adora, à diferença de outros saxões, como os ingleses. Sentar em um pub irlandês nada mais é que repetir a experiência de beber muito e papear mais ainda.

Dublin - Irlanda

Ganhar a simpatia de um irlandês é fácil, basta dizer, convictamente e várias vezes, que você gostou da Irlanda, o que, de fato, vai acontecer. Também ajuda se, além de entornar vários pints de Guinnes, você adicionar algumas doses de whiskey nos intervalos. Whiskey, é a versão irlandesa do uísque escocês, com uma terceira destilação, o que torna seu gosto bem mais suave, sem interferir no teor alcoólico. Se você fizer estas três coisas, eles chegarão à conclusão de que você é “Irish at heart” (algo como "irlandês de coração") e o tratarão como a um irmão. E em pouco tempo você entenderá por que eles têm fama de serem danados de simpáticos.

Dublin - Irlanda

Mas melhor ainda que a cerveja é que, em um pub irlandês, você pode curtir a alma de Dublin, com tempo para descobrir que ela é saborosa e densa como uma Guinnes, animada e barulhenta como seus pubs e alegre como seu povo.

Dublin - Irlanda

Depois de vários anos crescendo a taxas de 9% ao ano, a economia irlandesa andava tão bem que o país ganhou o apelido de Tigre Celta, à semelhança dos Tigres Asiáticos. O salto para a frente foi decorrência da indústria de telecomunicações e de alta tecnologia, a Irlanda ainda é o segundo maior exportador de softwares do mundo, perdendo só para os Estados Unidos. E é por isso que, de reserva de mão-de-obra, passou a atrair imigrantes, a ponto de achar uma casa para alugar em Dublin ser até pouco tempo tarefa para dois a três meses.

Dublin - Irlanda

Esse período de vacas gordas tornou Dublin uma cidade cosmopolita, onde se pode ouvir línguas de toda a Europa. A cidade, que começou como uma aldeola pantanosa fundada por invasores vikings, foi ganhando em graça ao longo dos séculos e hoje tem muitos monumentos históricos e a fama de possuir uma enorme quantidade de pubs e um número parecido de livrarias. Essa influência literária pode ser considerada um fruto da gigantesca biblioteca do “Trinnity College”, a antiquíssima universidade local, que tem mais de três milhões de volumes. É quase um museu inteiro só de livros, e que qualquer um pode visitar.

Dublin - Irlanda

Cortada ao meio pelo Rio Liffey, Dublin é mais elegante ao sul e mais boêmia ao norte, onde fica a sede da cervejaria Guinnes e a ex-sede da destilaria Jameson, a mais famosa marca de “Irish whiskey”. Mas, apesar desses ícones, a cidade preferiu eleger como seu símbolo uma vendedora ambulante de peixe do século passado, chamada Molly Malone, que ganhou até estátua na rua das boutiques chiques, a Grafton Street. Molly foi homenageada em trajes tão sumários que ganhou a alcunha de “tart with the cart” (algo como "a piranha da carrinho"). Outros monumentos famosos da cidade também têm apelido, como a ponte “Ha'penny” (de half penny, meio centavo, que era o preço do pedágio), que ganhou o codinome “shiver on the river” (arrepio sob o rio) porque chacoalha um bocado ao ser atravessada.

Dublin - Irlanda

Se você está achando os irlandeses irreverentes, saiba que eles são mesmo. Quase todos pertencem àquela estirpe de gente que perde o amigo, mas não perde a piada, e orgulha-se muito disso. O amor irlandês pelas frases de efeito, que tem sua expressão máxima no escritor Oscar Wilde (“experiência é o nome que damos aos nossos erros"), escreveu ele certa vez.

Dublin - Irlanda

Assim é Dublin, uma cidade que me chamou a atenção pela sua simplicidade e por possuir pessoas tão alegres que nem mesmo a crise financeira atual pela qual passa o país e afeta toda a população conseguiu diminuir, pelo visto não há crise que os faça entristecer e eles seguem sua vidas, tomando suas cervejas nos pubs e fazendo da capital irlandesa um destino imperdível na Europa.

Dublin - Irlanda

Cheers!!!

Post a Comment