My dream is having all this map painted in red

Saturday, 30 July 2011

Oslo – O paraíso fica aqui

Oslo - Noruega

Entre junho e setembro um dos países mais fantásticos do mundo esquece o inverno e se entrega ao “calor” do verão. Nessa época a Noruega esquenta os motores dos seus barcos para navegar pelos fiordes, enfeita as mesas dos restaurantes e abre as portas dos seus cafés, museus e parques para viajantes do mundo todo. São milhares de pessoas que assim como os vikings do passado, invadem uma Europa que pouca gente conhece mas que está cheia de coisas interessantes.

Oslo - Noruega

A algumas poucas horas de voo daquela Europa que seus amigos já conhecem, daquela Europa maravilhosa, cheia de glamour, História e monumentos grandiosos que seu colega de trabalho foi meia dúzia de vezes e tem sempre tantos episódios pitorescos para contar durante o almoço, fica uma outra Europa, diferente e muito menos conhecida. É uma Europa rica, que esbanja civilidade, farta em cultura e belezas naturais. Com gente bonita e cheia de simpatia, histórias de guerreiros vikings, contos de fadas e gastronomia especialíssima.

Oslo - Noruega

A Noruega e os países escandinavos como um todo, ou seja, esta outra Europa não está tão distante como se pensa, possui indicadores econômicos e sociais de fazer inveja ao mais rico dos países. Não existe analfabetismo, o índice de mortalidade infantil é baixíssimo e a expectativa  de vida dos homens é de 75 anos e das mulheres 81 anos.

Oslo - Noruega

Oslo, a capital norueguesa é uma agradável surpresa, diferente do que muito dizem, a cidade tem muito o que mostrar e é bem mais do que uma cidade gelada habitada por loirinhas bem educadas que adoram andar de bicicleta.

Oslo - Noruega

A melhor época para conhecer Oslo é durante o verão europeu, como mencionado anteriormente, de Junho a Setembro. Nessa época os dias são longos, o sol nasce às 04 da manhã e só se põe às 22:00hs e os termômetros exibem temperaturas quase tropicais, chegando nos 25ºC. Uma temperatura que em Oslo é celebrada com topless nos parques, música, festa e muita cerveja. Para quem passa oito meses por ano sob chuva e ventos gelados, vendo neve por toda parte, nada mais natural do que o entusiasmo esfuziante durante o verão. Juntemo-nos portanto aos noruegueses nessa época de alegria, quando o humor deles acompanha as elevações do termômetro.

Oslo - Noruega

Um país sem grandes fossos sociais. Os ricos não são estupidamente ricos e pobre não há. Predomina uma vasta classe média, que vive bem sem fazer sacrifícios, mas paga caro por isso. Os impostos são pesadíssimos e, dependendo da faixa salarial, podem ultrapassar os 60% da renda. A equilibrada economia é movida a luar. É do mar que a Noruega extrai a segunda maior produção mundial de petróleo, 3 milhões de barris por dia, e a maior produção pesqueira da Europa Ocidental. O país é tão rico que, ao contrario da Suécia e da Dinamarca, nem quis saber de entrar na União Europeia.

Oslo - Noruega

Essa riqueza, porém, não é nenhum pouco ostentada. Basta passear um pouco na capital para perceber que Oslo é elegante, contida, mas simples. Com prédios baixos de fachadas clássicas, ruas largas e arborizadas, bares e cafés por toda parte, a cidade é extremamente acolhedora.

Oslo - Noruega

Oslo foi fundada muito tempo depois da fase áurea do desenvolvimento viking. Só em 1048 o rei Harald Hardrade descobriu a importância estratégica do povoado que tinha um porto, um mercado e uma agricultura considerável. A fundação da cidade ocorreu precisamente na época de transição entre o império viking e a Idade Média católica norueguesa.

Oslo - Noruega

A cidade tem uma história apaixonante e dramática. No século 14, a chamada peste negra matou metade da população. A devastadora peste bubônica causou também sérias consequências políticas para a Noruega, rapidamente reduzida à condição de mera província da Dinamarca. A partir de 1537, a Reforma Luterana provocou um rebuliço religioso sem precedentes: conflitos armados, destruição de templos católicos e estabelecimento da fé cristã protestante como religião oficial. Completamente destruída em 1 624 por um incêndio atribuído a quatro bruxas, Oslo mudou de lugar. O rei Christian IV, do então Reino Unido da Dinamarca e Noruega, decidiu abandonar o que hoje é a Gamlebyen ("Vila Antiga") e construir na parte inferior do fiorde mais próximo uma verdadeira cidade renascentista protegida pelos muros defensivos da Fortaleza de Akershus.

Oslo - Noruega

Além de todas essas atrações ligadas à história viking e à antiga Oslo, a capital norueguesa oferece momentos prazerosos aos amantes da arte. No Frogner Park, entre fontes, jardins e lagos, os 200 grupos de esculturas de autoria de Gustav Vigeland discutem temas como a genialidade da infância, a melancolia da velhice e as relações inevitavelmente complexas entre os seres humanos, cercadas de conflitos, alegrias, dores. Com uma atormentada história de vida, abandonou os dois filhos e as três mulheres com quem casou, Vigeland expõe toda a angústia na sua obra. Outro artista norueguês de fama internacional é o pintor Edvard Munch, autor do famoso quadro O Grito. O quadro está exposto na Galeria Nacional de Oslo, numa sala dedicada ao pintor. A galeria tem ainda no acervo uma valiosa coleção de arte norueguesa.

O Grito - Galeria Nacional - Oslo - Noruega

Um outro programa ótimo em Oslo e algo que costumo fazer em toda e qualquer cidade que visito é sentar num café e contemplar a fauna humana que desfila, acredite, é um dos mais divertidos programas. A negra de penteado afro, a decadente velhinha de bengala, o muçulmano que sabe-se lá de onde veio, o australiano de férias, o punk de cabelo lilás de um lado e verde do outro... e assim por diante. Essa turma de fôlego interminável garante a animação das noites de verão em Oslo. Noites? Bom, na verdade o agito vai até o dia clarear... Se bem que no verão escandinavo o sol aparece cedo. Às 4 da manhã a temperatura é agradável, um friozinho seco de 14ºC, e as mocinhas, sem agasalhos, exibem microssaias e decotes na fila de espera do primeiro ônibus do dia. Eu olho, admiro e penso em voz alta, Deus abençoe a Noruega.

Post a Comment