My dream is having all this map painted in red

Wednesday, 25 July 2007

Mendoza



O que mais chama a atenção do visitante em Mendoza é a quantidade de árvores e de praças espalhadas pela cidade, há 1 milhão de árvores em Mendoza para 1 milhão e 400 mil habitantes..
Mendoza foi planejada para que a população possa enfrentar um terremoto, apesar de eles não ocorrerem desde 1985, a região é sujeita a abalos sísmicos que já devastou a cidade no passado quando ela ainda pertencia ao Chile e obrigou os moradores a construirem uma nova cidade ao lado daquela destruída e que pode ser visitada hoje. Por isso, tem cinco praças principais, Independência, Espanha, Itália, Chile e San Martín. No total, são 52 praças e três parques.
Os espaços abertos servem para que a população não seja atingida por destroços de concreto dos prédios caso ocorra um terremoto e para amenizar a poluição.
O que faz o turista viajar mais "tranquilo" é saber o que fazer em caso de emergência. A cidade foi construída arquitetonicamente para suportar terremotos de grande amplitude. Por isso, tem muitas praças, todas sem fiações superiores, para onde a população é orientada a se dirigir caso ocorra o fenômeno.
Se Baco passasse por Mendoza, cidade localizada no oeste da Argentina, ficaria fascinado com a diversidade de vinhos produzidos nas mais de mil bodegas locais, dos mais populares aos mais sofisticados.
Mas nem só de vinho vive o turismo local. Por estar localizada ao pé da cordilheira dos Andes, Mendoza, cujo clima é seco e o céu quase sempre está ensolarado, é também sede de estações de esqui como Los Penitentes e Las Leñas, tem uma rica arquitetura, simpáticas praças e aventuras que podem tirar o fôlego dos turistas.
Cidade média, Mendoza tem aproximadamente de 1 milhão e 400 mil habitantes, tem dois cassinos e diversidade de atrações culturais. Não cultiva com o mesmo fervor, a boemia de Buenos Aires. É que em Mendoza os bares têm dia certo para encher de gente, a balada tem hora marcada e as noites não vão além das 3h.
Talvez por sua abundância de árvores, pelas praças e pelos parques, além das visitas a locais históricos e a energia necessária para tudo isso, Mendoza não precise de noite mesmo.
Bodegas tradicionais e centenárias, umas mais artesanais, outras mais avançadas tecnologicamente, assim é Mendoza, província responsável pela produção da maior parte dos vinhos e das vinícolas argentinas, onde é possível degustar vinhos que podem fazer esquecer os franceses segundo enólogos da região. Mendoza chama o turista a aprender a diferença entre os tipos de uva e a saber diferenciar um sabor do outro. É lá que se percebem os diferentes aromas dos vinhos e se acompanha toda a sua produção.
Desde 2005, Mendoza é a 8ª capital mundial do vinho, motivo de orgulho entre os locais. As outras são Melbourne (Austrália), Porto (Portugal), Bilbao & Rioja (Espanha), Florença (Itália), São Francisco & Napa Valley (EUA), Bordeaux (França) e Cidade do Cabo (África do Sul). Como vêem, trata-se de um seleto grupo ao qual o Chile ainda não subiu, o que é motivo de rivalidade regional.
Post a Comment