My dream is having all this map painted in red

Saturday, 14 March 2009

Comprar e Regatear

 

 

Se pensas em um dia visitar o Marrocos saiba que tudo neste país do norte da África é negociável, da garrafa de água no bar a diária do hotel. No Marrocos, regatear é mais um dever do que um costume. Qualquer marroquino com amor próprio regateia, seja a comprar legumes no souk seja a reservar um quarto de hotel. Nas lojas de artesanato os preços estão marcados e o vendedor considera normal que potenciais clientes discutam o preço. Quando um cliente demonstra interesse por um artigo, o vendedor diz um preço inicial, que muitas vezes está longe do preço real do artigo, mas testa a vontade do comprador de fazer uma contra-proposta.

 

Para regatear com eficácia, é importante saber o valor do que deseja comprar, ou pelo menos ter em mente um valor que não deseja ultrapassar. Por outro lado, se recusar subir a oferta para que o vendedor possa ter lucro ele não irá vender o artigo. O verdadeiro objectivo do regatear é obter o artigo desejado fingindo indiferença. É por isso que demora algum tempo e deve ser um jogo sutil entre o vendedor e o comprador.

 

Ao apanhar um taxi sempre discuta o preço antes, os taxistas muitas vezes não ligam o taximetro e o melhor é negociar antes, uma corrida de taxi no Marrocos dentro de qualquer cidade nunca deve ultrapassar os 20 dirhams (2 euros) mas saiba que o primeiro preço será sempre muito mais alto do que isso, chegaram a me pedir 150 dirhams (15 euros) certo dia. Uma garrafa de água não custa mais do 5 dirhams (0,50 euro) mas o primeiro preço geralmente gira em torno de 15 dirhams (1,5 euro).

Basta dizer obrigado (Merci em francês ou Shukran em árabe) e virar as costas que irão ao seu encontro com um preço mais baixo, é sempre assim, a indiferença é a alma do negócio. :-)

 

Mesmo que você seja uma pessoa que não gosta de pechinchar trate de perder este hábito antes de visitar o Marrocos, o regatear faz parte da cultura marroquina, admito que com o passar dos dias, ter de negociar tudo é cansativo para um viajante, tudo leva-se tempo mas temos de entender que é o jeito marroquino de ser.

 

Nas grandes cidades, principalmente ao entrar pelos souks adentro, o assédio para você comprar algo será imenso, evite o cruzar de olhares pois esse é o primeiro passo para a aproximação dos vendedores, eles farão qualquer coisa para te vender algo, neste momento eles falarão qualquer língua, do francês ao japonês passando pelo português para te convencer que não pode sair dali sem comprar um artigo qualquer.

 

Sempre que entrar em uma loja e tiver interesse em comprar algo mencione que é brasileiro, isso ajuda muito, em primeiro lugar eles admiram nossa cultura e gostam muito do nosso país e em segundo lugar eles sabem que os brasileiros são pessoas mais sacrificadas e que não dispõem de tanto dinheiro como os turistas europeus que são maioria no Marrocos. Consegui vários descontos com isso.

Post a Comment