My dream is having all this map painted in red

Saturday, 14 March 2009

Pratos Marroquinos

 

Salada marroquina

 

Cuscuz

 

Tajine de kefta

 

Tajine de frango

 

Se como eu você for convidado para almoçar na casa de uma família marroquina prepare-se para que lhe ofereçam enormes quantidades de comida. Tal como outros convites, é difícil recusar o primeiro prato, quanto mais a segunda vez que o quiserem servir.

Não se assuste, as pessoas geralmente comem com as mãos, com a ajuda de um pedaço de pão. Se você for como eu e não dominar a técnica no ínicio, irão lhe dar talheres que eu sempre recusava, quando viajo gosto de ter experiências autênticas e não havia nada mais autêntico do que comer com as mãos assim como os marroquinos.

Ao comer deve usar somente a mão direita pois a mão esquerda, usada para a higiene pessoal é tradicionalmente considerada impura.

A cozinha marroquina, muito temperada, é uma mistura de tradições berberes, árabes e andaluzas. Cuscuz é um prato onipresente à sexta-feira no Marrocos, e a tajine, feita de carneiro, aves ou peixe é o prato nacional. Várias saladas, sopas, keftas (almôndegas)  também fazem prato da culinária marroquina.

Pães redondos deliciosos acompanham todas as refeições, eles são os seus talheres, lembra-se, nas aldeias, o pão mergulhado em azeite também constitui o prato principal e é nas casas das famílias marroquinas que o visitante têm a oportunidade de provar o melhor da cozinha deste país.

 

Especiarias:

As especiarias são uma parte essencial da cozinha marroquina. Vendem-se a granel e suas cores e aromas dão um toque mágico aos mercados. Usadas com moderação, realçam o sabor da carne e dos legumes. Também são usadas para temperar bolos. Açafrão, gengibre, cravo-da-índia e canela são as especiarias mais usadas. A mais valorizada é a “ras el banout”, ou seja, “o melhor da loja”, que consiste numa mistura cuidadosamente preparada com mais de 20 especiarias diferentes.

 

Entradas:

As entradas consistem de saladas de legumes crus, purês de legumes cozinhados ou sopas espessas.

A salada de tomate, cebola e pepino é muito apreciada como acompanhamento de carne. Mas há também saladas de grão-de-bico e a saladas de cenoura e laranja que é povilhada com canela, isso mesmo, canela e temperada com água de flor de laranjeira.

 

Pratos Principais:

A “tajine de kefta” são almôndegas guisadas em molho de tomate com cebolas, cominhos e açafrão.

A “tajine de frango” com azeitonas e limões em vinagre, temperada com coentros, cominhos e açafrão também é imperdível.

As “espetadas de carneiro” (uma variante do nosso churrasco), com cebola, salsa e pimenta, cobertas com cominhos, são acompanhadas de salada e chá de menta e é uma ótima pedida para paladares mais carnívoros como o meu.

O “cuscuz de sete vegetais” é o meu prato marroquino favorito, feito com carne ou peixe, mas há inúmeras variantes e somente a parte de cozer os grãos a vapor é já em si uma arte.

 

Sobremesas:

“Kaab Ghazhl” são pastéis recheados com amêndoas, açuçar, manteiga e água de flor de laranjeira. Impossível comer um só.

Os “Sfenj” são deliciosos bolinhos fritos que se vendem em cada esquina e que fazem a alegrias das crianças no Marrocos e também lhes devem causar muitas cáries devido ao seu elevado teor de açúcar..

Os “chebakyas” são uma massa frita coberta de mel e aromatizadas com sementes de sésamo, canela e açafrão. Apesar da aparência estranha é delicioso e me fez salivar ao escrever este post.

“Laranjas com canela”, a sobremesa mais tradicional do Marrocos, servidas as fatias e polvilhadas com canela, pode parecer uma combinação estranha para os brasileiros, mas recomendo que experimentem em casa. Trouxe isto como hábito do Marrocos e não consigo comer uma laranja após jantar em Lisboa sem adicionar um pouco de canela.

 

Mas lembrem-se, não comam muito, pois uma refeição marroquina termina invariavelmente com chá de menta. Não é estranho beber três ou quatro copos desta infusão doce e mais uma vez é muito difícil recusar.

Post a Comment